Madrepérola e Abalone

Quem ai é fascinado por gemas orgânicas? A Madrepérola e o Abalone são algumas destas que nos encantam com a sua cor natural.

A madrepérola é  o revestimento interno das conchas. Chamada de “nácar“, a mesma substância que dá origem as pérolas, quando um corpo estranho entra na concha.

 

 

 

Já o Abalone é um molusco,  do gênero Haliotis, encontrando no mar em águas rasas e profundas. Esse molusco é uma iguaria na culinária, e por ser muito explorado se tornou raro. Hoje já existem cultivos em cativeiro, vende-se o moluscos como alimento e as conchas como gemas orgânicas para se fazerem jóias.

Talvez você já tenha ouvido falar da “Paua Shell“, que é uma espécie de Abalone, chamada assim pelo povo maori da Nova Zelândia. Os maoris a séculos já utilizavam a concha do Abalone para ornamento, decoração, esculturas e até recipientes para misturas, e os moluscos eram fonte de alimentação.

 

 

Apaixonantes não é mesmo? Confira nossas peças na loja virtual, acesse:

 

Pedra da Lua x Labradorita

Quando pensamos em pedras que encantam pelo brilho natural e misterioso, lembramos da Pedra da Lua e Labradorita.

Essas pedras possuem cores bem diferentes, mas ambas pertencem ao grupo do “Feldspato”, e à elas são associados nomes para seus jogos de cores.

Pedra da Lua – Tem um brilho branco-azulado, essa gema capta a luz e se apresenta de forma diferente dependendo do ângulo que você à vê, isso é chamado de “adularescência”. Em outras palavras é como se no interior da pedra, a luz encontra-se “barreiras”, que são as micro plaquetas de albita, e assim se quebra sendo espalhada, acontecendo um efeito único, o que torna essa pedra tão distinta e desejável.

Antigamente as pessoas acreditavam ser possível reconhecer as fases da lua crescente e minguante enquanto olhavam esse jogo de luz, daí o seu nome .

Pode ser encontrada no Sri Lanka, Austrália, Brasil e Índia.

 

Labradorita – Com um jogo de cores íncrives, agora em tons metálicos, que variam do azul ao verde, esta pedra também tem um efeito de luzes único, dependendo do ângulo que é vista, e maneira que é lapidada. Com a Labradorita seu efeito é chamado de “labradorescência”.

Da mesma maneira que acontece com a Pedra da Lua, seus tons variam devido a interferência da luz em lamelas geminadas.

Esta gema é encontrada no México e EUA, mas principalmente no Canadá. Onde foi encontrada pela primeira vez, em 1770 na península de Labrador e deu origem ao seu nome. 

Com certeza as duas pedras com seus brilhos naturais e exóticos, são um presente da natureza para os amantes da pedra.

 

Turquesa

Turquesa significa “pedra turca”, não porque é encontrada na Turquia, mas porque antigamente a rota comercial que trazia essa gema para a Europa, passava por este país.

Há mais de 4.000 anos AC a esta pedra já era usada como decoração, amuleto e até maquiagem.

Suas principais jazidas estão no Irã, Afeganistão e sudoeste dos EUA.

 

 

Achar uma turquesa azul pura é muito difícil, geralmente as peças tem veios pardos, cinzas ou até negro, que na verdade são fragmentos naturais de outros minerais.

Por ser uma gema porosa, requer alguns cuidados, pode perder seu brilho ou mudar a cor com produtos químicos, (como perfumes e cremes) e com calor excessivo (como a solda). Uma dica é sempre retirar os anéis antes de lavar as mãos e nunca aplicar perfumes em cima dos colares. Se caso a pedra perder a cor, pode ser hidratada com óleo natural ou em alguns casos polida novamente.

Esta gema ganhou amantes fieis quando o estilo Boho-chic ficou mais forte. Dando destaque principalmente para a turquesa do Arizona (EUA) junto com sua prata envelhecida e bem pesada.

 

 

Mas é claro que para quem ama pedras, a Turquesa não é novidade, com muitas pedras ou uma enorme, com prata lisa ou envelhecida sua cor é apaixonante!

Algumas das peças exclusivas da Pedra e Prata:

turquesa

 

Coral

Os corais formam-se em recifes através de troncos em numerosas ramificações.

É encontrado na profundidade de 3 a 300 metros, e é colhido através de redes que dragam o fundo do mar.

São usados como adorno pessoal desde 1.200 a.C. pelo menos. O mais apreciado é o vermelho, da espécie Corallium rubrum.

O principal centro do comércio de coral é no sul da Itália, perto da região de Nápoles.

Os mais usados em joias são aqueles procedentes do Mediterrâneo e do mar Vermelho, das ilhas do Pacífico perto do Japão o de Taiwan, nas ilhas Canárias e da Malásia.

Como toda gema orgânica, é pouco resistente, e requer cuidados especiais. Joias feitas com ele devem ser mantidas longe do calor intenso bem como do contato com ácidos em geral. Devem ser lavadas com detergente neutro à levemente alcalino, e caso perca a cor, deve-se mergulhá-lo em água oxigenada, pois ela pode ser assim readquirida.

Alguns de nossos colares exclusivos feito sobre encomenda:

dsc_0040dsc_0042dsc_0044dsc_0048

Choker

As chokers são a tendência deste verão, para usar na praia, dia a dia ou até em eventos mais sociais. É super diplomática e tem ganhado tantas adeptas porque alonga a silhueta, combinando com correntes mais longas esse efeito fica ainda melhor.

As opções de modelos são variadas, da fitinha de couro ou cetim, as mais chiques.

Se você ainda não é muito favorável a ideia aposte nas mais fininhas, que são quase invisíveis, mas dão um charme que faz toda a diferença.

Veja as opções disponíveis em nossa loja:

img_0140

img_0141

img_0142

img_0139

Ródio – O que é?

Afinal o que é o banho de ródio?

O RÓDIO é um metal precioso, assim como a prata e o ouro, vem da família da Platina.

As peças ganham este banho para ficarem mais resistentes, a riscos e arranhões, e para ganhar aquele acabamento mais brilhoso que se assemelha ao ouro.

A joalheria vem investimento muito em banho de ródio, e o Ródio Negro tem ganhando cada vez mais espaço e dá um look super moderno para as peças, é o ródio + metais escuros.

O banho de Ródio sai? Sim, com o tempo ele sai, se por baixo deste banho tiver prata, a diferença não será tão grande, mas se for só metal com banho de Ródio vai aparecer uma cor meio acobreado, porém é só dar uma novo banho é a peça fica linda novamente!

Peças de Prata com banho de ródio negro:

 

_dsc01231

 

 

Peça de prata com banho de ródio branco:

 

67480-1

Turmalina – arco-íris de cores

Nenhuma gema possui uma gama de cores tão rica como a Turmalina, e no Brasil encontramos as principais jazidas.

Devido a sua variedade, ela pode ser dividida em 7 categorias:

  • Acroíta: incolor, muito rara
  • Rubelita: rosa ou avermelhada
  • Dravita: amarelo castanho ou amarelo escuro
  • Indigolita: azulada
  • Siberita: vermelho lilas ou ate azul violeta
  • Schorl: negra

 

 

Ainda existe, a Turmalina melancia, Turmalina verde e a famosa Turmalina Paraíba.

Veja como ficam lindas as jóias feitas com esta pedra:

fotog-8

Malaquita

Quando se pensa em pedras exóticas e coloridas não se pode deixar de pensar na Malaquita.

Sua principal jazida fica em Zaire (atual Republica Democrata do Congo), na África, mas também podemos encontra-la na Austrália e Namíbia.Seu nome deriva de sua cor, em grego “malache” que significa malva. Seu diferencial são suas bandas claras e escuras como se fossem anéis. Na sua composição contem cobre, o que dá a essa pedra um brilho vítreo todo especial.

 

malaquita2

 

 

Na antiguidade, os egípcios, gregos e romanos já usavam a Malaquita como pedra ornamental, amuleto e até como maquiagem, eles pulverizavam a pedra para colorir as pálpebras. Foi usada também como remédio para náuseas e proteção contra perigos para crianças. Sua cor era tão valorizada que era usada como pigmento para tingir diversas coisas.

Hoje podemos encontrar a Malaquita em várias jóias e até algumas esculturas. É uma pedra que geralmente se lapidada em cabochão (não facetado), deixando suas marcas naturais bem à mostra. A Amsterdam Sauer, alta joalheria brasileira, que nós admiramos de paixão, criou algumas jóias com a Malaquita em destaque.

 

 

 

Esta pedra requer alguns cuidados, é sensível ao calor, ácidos e banhos quentes. Caso ela perca um pouco de seu brilho pode ser hidratada com óleo natural.

Dá uma espiada nas peças que a Pedra e Prata tem:

 

 

E você também se apaixonou pela Malaquita?

Fonte: Livro Gemas do Mundo – Walter Schumann

Cuidados com a Prata

Com certeza você já teve uma peça de prata ou ouviu falar de alguém que comprou uma jóia de prata e ela escureceu. Por que isto acontece?

A oxidação da prata (ou ela ficar escura) é um processo normal, natural do metal, mas mesmo assim ha alguns cuidados que ajudam a evitar que isto aconteça sempre, como por exemplo: evitar passar cremes, perfumes e até filtro solar com suas peças de prata. Tinta de cabelo, spray e outros produtos abrasivos também a escurecem, o ideal sempre é tirar e depois de alguns minutos colocar as pratas.

E o ácido úrico? Sim, pessoas com muito ácido úrico tendem a escurecer a prata com mais facilidade, se você sofre com este problema pode ser que o recomendado seja usar peças com banho de ródio, que dão uma camada de proteção na prata e ela não escure rápido.

Geralmente uma flanela própria para a limpeza da prata resolve o problema, esta flanela recupera a peça, dando novamente brilho. Para as peças mais “sujinhas” talvez seja necessário polir (em um ourives) ou limpar com produto especializado, como o Monzi por exemplo. Não use pasta de dente, bicarbonato ou nada destes produtos “milagrosos” para limpar suas peças, a empresas especializadas nisto e não custa caro.

Mas cuidado! Estes produtos químicos NÃO podem ser usados em peças com pedras naturais, neste caso a melhor opção é o polimento.

É importante também cuidar com o armazenamento das peças, se estiver em local arejado, longo do sol e perfumes (como incensos ou outras substâncias que liberem odor), é bem provável que suas jóias vão ficar bonitas e brilhosas por mais tempo.

 

kit-limpa-prata-monzi-35ml-5-flanelas-pano-magico-d_nq_np_130401-mlb20309560411_052015-f

 

Este produto você consegue em qualquer loja especializada em jóias de prata.

Pulserismo

Essa tendência fashion veio para combinar com todos os gostos.. você pode misturar todas as suas pulseiras, combinando ou não.

Se é mais clássica, opte por pulseiras que se combinem, se está mais para um look divertido, misture tudo, e vale misturar dourado com prata, pedra com miçanga, brilho com couro, por que não? 

O que vale é que suas pulseiras combinarem com seu estilo.

Veja algumas ideias fashionistas:

 

Agora veja nossas misturinhas, todas disponíveis na nossa loja virtual: